quinta-feira, 21 de junho de 2018

Ausência



Por Vitalina de Assis.





Hoje pensei em ausentar-me, tornar-me parte do oxigênio que me rodeia. 

Nem sequer temos consciência do ar que respiramos, está tão disponível, tão corriqueiro, tão essencial e abundante, excessivamente abundante, até que falte a força em nossos pulmões e só aí compreenderemos seu real valor, sua presença vital em nossos. 

Somos assim, enquanto pessoas? Quando é que somos verdadeiramente essenciais e indispensáveis? E para quem? 

Estas perguntas ecoam em meu ser em busca de respostas. Há dias em que somos pleno questionamento, sem contudo, sermos plena certeza. 

5 comentários:

  1. Quando eu fico desse jeito sei
    que é falta ou é excesso, senão
    nada igual a isso acontecia.
    (risos).

    Beijos e beijos.


    .

    ResponderExcluir
  2. Ora seja muito bem bem regressada!!
    Bfds

    ResponderExcluir
  3. Me descreveu inteira!
    Há dias em que as dúvidas e perguntas tomam conta de mim e as respostas cada vez mais longe... Ausência as vezes é necessário pra nos encontrar.
    Um dia lindo pra ti, Vita
    Meu carinho ;*

    ResponderExcluir
  4. Voltei para saber se tudo
    melhorava ou continuava
    bom, como estava.

    Beijos.

    .

    ResponderExcluir
  5. Adorei estar aqui , tudo lindo e encantador...
    Espero sua visita em meu blog também.


    Beijos
    Ani

    https://cristalssp.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Seu comentário muito me honra. Sinta-se em casa.

Agradecida,

Vitalina de Assis.